Correio técnico: o que muda nos carros com volante do lado direito?

As modificações para adaptar um veículo à mão inglesa vão muito além de reposicionar a coluna de direção

 Na Tailândia, os carros adotam mão-inglesa

Na Tailândia, os carros adotam mão-inglesa (Colin Dunjohn/Quatro Rodas)

O que muda num carro com volante do lado direito?- Cristiane Garcia, Salvador (BA)

As diferenças variam entre cada modelo, mas as principais mudanças estão no posicionamento da caixa de direção e painel.

Porém, há detalhes que normalmente passam despercebidos por nós, como os limpadores de para-brisa, que são invertidos para priorizar a limpeza do campo de visão do motorista.

 As modificações vão muito além da posição da coluna de direção

As modificações vão muito além da posição da coluna de direção (Colin Dunjohn/Quatro Rodas)

Ainda há modificações nos comandos do sistema multimídia e da abertura do porta-malas, por exemplo. Mas algumas mudanças não são tão bem-feitas.

A versão inglesa do C3 Picasso, por exemplo, sofreu recall porque era possível frear o carro apertando um ponto específico do assoalho do passageiro, acionando o mecanismo original de frenagem do veículo.

Já no Chevrolet Omega importado o botão para abrir o porta-malas ficava dentro do porta-luvas, pois o sedã australiano tinha seus comandos projetados pensando no motorista do lado direito, e não esquerdo.

 Toda a porção central do painel da nova Sprinter é simétrico

Toda a porção central do painel da nova Sprinter é simétrico (Divulgação/Mercedes-Benz)

Para evitar isso muitos modelos possuem os comandos do console central simétricos, especialmente veículos comerciais.

Apesar das grandes diferenças, em países como Inglaterra e França é permitido dirigir veículos com o volante “do lado errado”.

Fonte: Quatro Rodas