Mobilidade e zero emissões estão na rota da indústria automotiva

Conheça os incentivos mundiais para os veículos elétricos e quais tecnologias chegarão ao Brasil a partir de 2019

Os carros elétricos e híbridos são o futuro. Veja como prometem otimizar a mobilidade
Divulgação

Os carros elétricos e híbridos são o futuro. Veja como prometem otimizar a mobilidade

Portugal é um dos principais destinos turísticos do mundo não apenas para brasileiros. Obviamente, por lá, a indústria de aluguel de carros tem uma demanda crescente e o que chama atenção é que a maior busca dos viajantes é por carros elétricos. Uma ótima notícia já que, proporcionalmente, o país tem a maior rede de abastecimento para carros elétricos do continente europeu, além de subsídios especiais para a compra de veículos do tipo.

Não surpreende, então, que a fabricante americana de carros elétricos Tesla tenha escolhido Lisboa para anunciar seus planos futuros e a data de sua chegada oficialmente ao continente europeu. A estratégia da marca para a Europa terá início com o Tesla Model 3.

Entre os carros elétricos, a Tesla escolheu Portugal para iniciar as vendas do Model 3, um belo sedã
Divulgação

Entre os carros elétricos, a Tesla escolheu Portugal para iniciar as vendas do Model 3, um belo sedã

Em fevereiro, começam as vendas do modelo topo de linha, o de maior autonomia, com duas opções chamadas Long Range, ambas com bateria de 75 kWh, tração integral e dois motores. A potência combinada é de 354 cv e faz de 0 a 100 km/h em 4,5s. A autonomia prometida é de até 544 km. A versão Long Range AWD sairá em Portugal pelo equivalente a R$ 265 mil.

A Europa tem registrado alta nas vendas de elétricos e híbridos em muitos países e atingiu recentemente uma frota de mais de um milhão de veículos do tipo. Os resultados são reflexo de amplos programa de incentivo que, conforme o país, passam por bônus ao compradores, isenção fiscal, liberação de estacionamento e pedágios, benefícios especiais para táxis, frotas corporativas e de aplicativos e vendas especiais para carros compartilhados. E, claro, um expressivo aumento de pontos de recarga.

Neste contexto, o novo Nissan Leaf é o automóvel elétrico mais vendido na Europa. Ele oferece boa aceleração e bom desempenho com um motor totalmente elétrico e avançadas tecnologias, como o e-Pedal e as funcionalidades de condução autônoma ProPILOT e ProPILOT Park. A bateria de 40 kWh do novo Leaf oferece uma autonomia de condução de 270 km.

Incentivos para carros elétricos no mundo

Com um design arrojado, o novo Nissan Leaf é o líder de vendas entre os carros elétricos na Europa
Divulgação

Com um design arrojado, o novo Nissan Leaf é o líder de vendas entre os carros elétricos na Europa

Estados Unidos, Japão e China também estimulam a compra de carros elétricos. Mesmo com a recente ameaça do Governo Trump de cortar o subsídio federal (nos EUA, um terço do valor é devolvido ao comprador em forma de crédito fiscal), hoje há mais de 18.000 estações de recarga públicas no território americano especialmente na Califórnia. Ou seja, há mais pontos de abastecimento do que filiais do McDonald’s por lá.

Entre os três elétricos mais vendidos nos Estados Unidos, o SUV da Tesla, o Model X, merece destaque. Isso porque traz elegantes portas traseiras “falcon wings” (de abertura vertical), que facilitam a entrada para a terceira coluna de bancos, já que o carro leva até sete pessoas. Ainda vem equipado com tela digital touchscreen de 17 polegadas (prometendo atualizações com melhorias de performance e novos recursos), para-brisas que se estendem até o teto e iluminação por LED. O Model X tem autonomia prometida de 470 quilômetros, garantindo viagens bem longas. O preço é US$ 132 mil (cerca de R$ 520 mil).

Carros elétricos e híbridos no Brasil

O SUV Tesla Model X é o destaque nas vendas dos carros elétricos nos EUA e um sonho de desejo de muitos americanos
Divulgação

O SUV Tesla Model X é o destaque nas vendas dos carros elétricos nos EUA e um sonho de desejo de muitos americanos

Por aqui, os modelos podem começar a chegar com mais força com a aprovação pelo Governo Federal do programa Rota 2030. Dentro dele, a alíquota do Imposto sobre Produto Industrializado (IPI) dos carros elétricos e híbridos (com um motor elétrico e outro a combustão) sairá dos 25% atuais para uma faixa de 7% a 20% – o percentual vai depender do peso do veículo e da eficiência energética (consumo mais baixo de combustível e menor emissão de poluentes).

Os híbridos com etanol (flex) terão um desconto “extra” de 2 pontos percentuais no IPI. Nenhum carro desse tipo é vendido ainda, mas a Toyota deve ter a nova geração do Corolla Hybrid flex com essa característica a partir de 2020. Em tempo: os elétricos são identificados pela sigla BEV e os híbridos como HEV (motor elétrico recarregado pelo motor a combustão) ou PHEV (motor elétrico recarregado por tomada externa associado a um motor de combustão interna).

Entre os carros elétricos e híbridos do Japão, a Toyota antecipou o modelo de 2020  que terá versão com motor flex
Divulgação

Entre os carros elétricos e híbridos do Japão, a Toyota antecipou o modelo de 2020 que terá versão com motor flex

Os modelos oferecidos atualmente no mercado brasileiro são o Toyota Prius , o Lexus CT 200h, o Volvo XC90 T8, o Porsche Panamera Turbo S-E Hybrid, o Porsche Cayenne S-E Turbo Hybrid, o BMW i8 e o BMW i3. O Fusion Hybrid, primeiro modelo deste tipo no país tem um futuro incerto, pois não se sabe se continuará sendo vendido na configuração atual.
Em 2019, teremos ainda novidades como Nissan Leaf, Chevrolet Bolt e o Renault Zoe . Sucesso de venda na Europa, o Zoe já tem preço por aqui: R$ 149 mil. Com 300 km de autonomia, ele é 100% elétrico, tem sistema de bateria Zero Emisson e não emite poluentes, ruídos de motor ou de mudança de marcha.

Segundo a Renault, conta com sistema de carregamento que se adapta a diferentes níveis de potência, o Chameleon Charger, que capta a quantidade máxima de energia disponível, reduzindo o tempo de carregamento e otimizando a rotina de uso. Com 100% de torque desde o início, vai de 0 a 50 km/h em 4 s.

A Renault já vende no Brasil o Zoe, que ante os carros elétricos da concorrência, deverá fazer certo sucesso em 2019
Caue Lira/iG

A Renault já vende no Brasil o Zoe, que ante os carros elétricos da concorrência, deverá fazer certo sucesso em 2019

Em suma: o Rota 2030 abre um caminho para o futuro da mobilidade no Brasil, embora as vendas de elétricos aqui ainda estejam aquém do necessário para serem consideradas expressivas. O programa governamental tem a duração de 15 anos e foram anunciadas apenas as primeiras medidas para o triênio 2019 a 2022. Espera-se muito mais para que um dia os carros elétricos e híbridos sejam realidade para nós brasileiros. Quem sabe, em breve, a Tesla se anime também em vir para o Brasil.

Fonte: Carros – iG